As Zonas Eleitorais de Boa Vista passarão por adequação no quantitativo de eleitores, para atender a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no que se refere às alterações na resolução que trata da criação e instalação de zonas.

O rezoneamento tem o objetivo de aprimorar o trabalho e economizar gastos com as zonas eleitorais, que nas capitais terão no mínimo 100 mil e no máximo 200 mil eleitores. Nas zonas do interior esse número é de no mínimo 10.000 eleitores, com base em critérios de razoabilidade e proporcionalidade, conforme determinação do TSE.

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRE) aprovou na sessão do último dia 13 de junho, a Resolução Nº 352/2017 que dispõe sobre o remanejamento de zonas eleitorais e a redistribuição dos eleitores.

Capital – Em Boa Vista a 1ª Zona Eleitoral conta atualmente com 59.725 eleitores e a 5ª ZE possui 144.612. Diante desses dados haverá a necessidade de remanejar eleitores da 5ª para a 1ª ZE, para que haja um equilíbrio na distribuição do eleitorado da capital. Com a redistribuição cada zona contará com aproximadamente 120.000 eleitores, já inclusos os que virão da 3ª ZE. Após o rezoneamento, a 1ª ZE ficará com 121.419 eleitores e a 5ª ZE com 109.945 (dados atuais).

O secretário de tecnologia da informação do TRE-RR, Wanderlan Fonseca, explicou que em Boa Vista, o procedimento será rápido e simples. Serão remanejados da 5ª para a 1ª Zona Eleitoral um total de 61.317 eleitores, pertencentes a 194 seções de 34 locais de votação. “Todos esses títulos serão impressos e o eleitor, na data agendada posteriormente pelo TRE, irá ao seu próprio local de votação fazer a troca do título”.

Interior – Os eleitores dos municípios de Cantá, Bonfim e Normandia, que pertencem atualmente à 3ª Zona Eleitoral, com sede em Alto Alegre, serão remanejados para a 5ª Zona Eleitoral, em Boa Vista. O procedimento de remanejamento de eleitores nesses municípios acontecerá no ato do recadastramento biométrico, que acontecerá a partir do segundo semestre.

“A preocupação do TRE-RR é dar melhores condições de atendimento a esses eleitores e reduzir seus custos de deslocamento, quando necessitam dos serviços da Justiça Eleitoral”, garante a presidente do TRE, desembargadora Tânia Vasconcelos.